Mas afinal, o que é doula? No ratings yet.

A palavra Doula vem do grego e significa “mulher que serve”, sendo hoje utilizada para referir-se à profissional sem experiência técnica na área da saúde, que orienta e assiste a gestante na construção e aceitação do seu papel de mãe, bem como no parto e nos cuidados com bebê. Seu papel é oferecer conforto, encorajamento, tranquilidade através do suporte emocional, físico e informativo durante o período de intensas transformações advindas da maternidade.

A doula é uma profissional contratada pela gestante para dar assistência a ela durante a gestação até o pós-parto. Durante a gestação a doula faz um acompanhamento “pré-natal’ adicional e diferente do acompanhamento médico. Seu olhar é para os aspectos físicos, emocionais e informativos. No que diz respeito ao aspecto informativo, a doula auxilia a gestante em sua preparação para o parto, ofertando conteúdos relacionados a fisiologia do parto, os benefícios e consequências das vias de parto, intervenções necessárias e desnecessárias, violência obstétrica, plano de parto, procedimentos de rotina, amamentação, puerpério, tudo baseado em evidências científicas e que possibilite a parturiente fazer escolhas conscientes, explica os termos médicos e os procedimentos hospitalares.

O que a doula faz?

Fisicamente ela apresenta medidas de conforto como massagens, técnicas de respiração, opções de exercícios que facilitam a progressão do trabalho de parto, posições que reduzem o desconforto e possibilitam alívio da dor. Movimentos e posições que ajudam a ação da gravidade para um nascimento mais leve e respeitoso.

Emocionalmente é a doula quem vai acolher os medos e inseguranças da gestante e indicar outros profissionais caso precise de uma intervenção mais específica. Nosso papel é de empatia e presença contínua, não existe espaço para julgamentos.

Além disso, essa relação deve ser pautada na confiança, segurança, respeito e acolhimento, afinal trata-se de um dos momentos mais importantes da vida de uma mulher. Favorecemos um ambiente tranquilo e acolhedor, com silêncio e privacidade. Somos importantes até mesmo na cesariana, momento em que continuamos dando apoio e conforto durante a cirurgia.

Durante o parto

Durante o trabalho de parto, estamos lá, com o olhar voltado para essa parturiente. Cada profissional tem um papel importante nesse momento, o da doula, é estar atenta as necessidades da gestante, servindo mais uma vez como suporte. No caminhar desse processo, utilizamos métodos não farmacológicos de alívio da dor, dentre eles: massagem, compressão de quadril, aromaterapia, musicoterapia, exercícios que favorecem a progressão do trabalho de parto, o momento e a forma correta de executá-los. Somos o olhar que observa e se comunica com a mulher. Somos o espelho que a conecta com o seu verdadeiro potencial, com a descoberta de uma força avassaladora.

No pós-parto imediato somos auxílio no estabelecimento da amamentação e vínculo mãe e bebê, bem como, aquela que continua olhando para a recém mãe enquanto cada profissional está dando conta do seu papel.

Nosso trabalho requer confiança e conexão. A escolha da doula deve partir da gestante. É preciso ter química. Tem que dar MATCH, sabe! Escolher uma pessoa para presenciar um momento tão íntimo não pode ser de qualquer forma.

Por isso, se você tem interesse de ter uma doula ao seu lado, pesquise, entre em contato, converse, participe de rodas realizadas por ela, procure referências sobre o seu trabalho.

O que a doula NÃO faz?

  • Ela não faz parto, faz parte!
  • Realizar qualquer procedimento médico ou clínico, tais como: aferir pressão, toques vaginais, monitoração de batimentos cardíacos fetais e administração de medicamentos;
  • Substituir qualquer dos profissionais tradicionalmente envolvidos na assistência ao parto;
  • Discutir procedimentos com a equipe ou questiona as decisões médicas;
  • Substituir o acompanhante escolhido pela parturiente.

Como funciona a assistência da DOULA?

Nossa assistência acontece através de encontros que podem ser presenciais ou online. Costumamos realizar dois encontros pré-parto, no qual vamos entender as necessidades da gestante e traçar os objetivos pertinentes.

Através do diálogo, vamos indicando materiais de apoio, desmistificando crenças , oferecendo suporte para que a mulher reconheça seu papel de protagonista e assuma a autonomia.

Vale salientar, que o papo gira em torno da maternagem como um todo. Sabemos que o parto é apenas um portal – de grande importância, é verdade – mas a gestação vai muito além do parto. Amamentação, rede de apoio, puerpério, cuidados com o recém-nascido, a importância do pai, preparação do acompanhante. Tudo isso é fundamental e deve ser conversado.

Seguindo a preparação, vamos estruturar como vai funcionar o trabalho de parto. Tudo baseado na singularidade da gestante e com respeito as suas escolhas conscientes. Surgindo qualquer sinal de trabalho de parto, deveremos ser comunicadas. Identificando que seja mesmo o trabalho de parto seguiremos ao encontro dessa gestante para que possamos ofertar o nosso apoio, através da observação e sugestão de movimentos e/ou utilização de ferramentas ou, simplesmente, ser ponte de tranquilidade e segurança.

Em contrapartida, é importante falar sobre isso pois algumas gestantes criam muita expectativa de ter uma doula para fazer massagens, porém na hora da dor, não querem ser tocadas, não querem a playlist, a piscina e está tudo bem. Apesar disso, a programação faz parte da preparação, mas não quer dizer que o desenrolar da carruagem vai acontecer conforme o planejado.

Importante dizer…

Que não somos a garantia de que tudo vai acontecer conforme o planejado. Somos instrumento de preparação para que a gestante entenda que não tem o poder de controlar todas as situações, mas que ter a informação correta faz total diferença.

Entender sobre os possíveis desdobramentos que podem acontecer em um parto e estar preparada para o plano A ou o plano B. Tendo clareza dos procedimentos que são necessários e das intervenções que são ofertadas para auxiliar, verdadeiramente, o seu parto ou para acelerar o processo em benefício médico/hospitalar. Bem como saber das indicações reais de cesariana para não cair em armadilhas de médicos que se dizem humanizados, mas tentam lhe levar para uma desnecessariamente.

A doula no pós parto

A doula pode dar auxilio para a amamentação.

Após o nascimento, buscaremos estabelecer o vínculo mãe-bebê. Auxiliando o contato pele a pele, orientando na pega correta e na amamentação.

Por último, faremos um encontro pós-parto, que pode acontecer com 24 horas, uma semana, 15 dias. Quem vai dizer sua necessidade é você, gestante. Nesse encontro, vamos avaliar como está o puerpério, se existe necessidade de alguma intervenção ou correção com a amamentação, como está a recuperação e adaptação dessa mãe, como estão os aspectos físicos e psicológicos, se existe necessidade de um acompanhamento profissional específico, orientar com relação a rotina, cuidados com o bebê, rede de apoio e planejamento familiar.

Por fim, além dos encontros nos disponibilizamos para tirar dúvidas ou orientações via whatsApp ou ligações.

“Se doula fosse um remédio, seria antiético não receitar”. John H. Kennell MD.

Por Vika Jardim | Doula – (81) 991084266 https://www.instagram.com/vikajardim.doula/ https://www.facebook.com/vivian.jardim.16

Please rate this

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.